quinta-feira, 23 de abril de 2009

Células... o que é isso?

Célula é um pequeno grupo de pessoas que se reúnem semanalmente para crescerem espiritualmente, relacionarem-se de maneira saudável umas com as outras e cumprirem a missão de fazer o nome de Jesus conhecido e glorificado por meio de suas vidas.
Tem como característica o fato de se reunir uma vez por semana fora do templo, praticar efetivamente o evangelismo e o discipulado, e multiplicar-se regularmente a fim de continuar atingindo o seu objetivo.
A célula conta com cinco sistemas que ajudam a cumprir o seu propósito, são eles:

Comunidade ou Célula: um sistema de vida em comunidade garante a comunhão e a edificação dos membros da célula;
Treinamento: este sistema reproduz o discipulado cristão e treina cada membro da célula de forma prática;
Prestação de Contas: um sistema de prestação de contas promove a responsabilidade, o compromisso e a possibilidade de detectar problemas ainda em fase inicial;
Liderança: na célula líderes são formados com vistas à multiplicação, pois o potencial da evangelização está na quantidade de células espalhadas pela cidade;
Evangelismo: este sistema da célula é observado na prática por meio de ferramentas acessíveis e que todos dão conta de usar.

Ainda há os movimentos da célula. Esses movimentos dão uma dinâmica apropriada ao encontro, reunião, da célula. São eles:

Encontrodinâmica para a construção de relacionamentos;
Exaltaçãodinâmica para levar a célula à adoração;
Edificaçãodinâmica na qual a Palavra é melhor apreendida;
Evangelismodinâmica que visa novos relacionamentos.

Dessa forma, célula é mais do que um simples grupo pequeno. É uma ferramenta ágil, veloz e afiada nas mãos de Deus a serviço da Igreja, seu Corpo.
Célula dá oportunidade de o cristão viver o que o Novo Testamento mostra na Igreja Primitiva, ou seja, pequenos grupos de cristãos reunidos em seus lares a fim de ensinar, pregar e viver Jesus Cristo (At 2.42-47; 5.42; 20.20).
A Igreja do Senhor Jesus Cristo de estar sempre está em fase de multiplicação. Isso é motivo de alegria e satisfação por parte da igreja, dos líderes e de Deus. Se a célula é a oportunidade de vivermos mais profundamente a vontade de Deus, a multiplicação é a oportunidade de oferecermos esse estilo de vida a uma maior quantidade de pessoas. Mais pessoas alcançadas pelas células, mais a Palavra de Vida Eterna será proclamada. Quanto maior o número de células, maior a capacidade de cumprir a missão da igreja e dos crentes.
Isso que fazemos é ao mesmo tempo o mínimo e o máximo. Mínimo porque quem efetua em nós tanto o querer como o realizar é o Espírito Santo. Somos pequenos, incapazes e incompetentes para fazer uma vida sequer se render aos pés de Jesus para Salvação Eterna. Isso tudo é da competência e obra do Espírito Santo.
Não obstante, o que fazemos também é o máximo, pois esforçamo-nos para conseguir tempo, disposição e aprimoramento de conhecimentos para melhor servir ao Senhor. Temos nos esforçado para dar e oferecer o melhor para o nosso Deus.
Graças a Ele, o Senhor, que tem nos abençoado e nos dado todas as coisas que nos levam à vida e à piedade. Recebemos bênçãos e bênçãos do Senhor Jesus Cristo.
Avancemos, continuemos nessa obra frutífera, pois Deus é conosco.


Pr Marcelo Morais
Rede de Células.

domingo, 19 de abril de 2009

Além dos Muros

Texto

Gn 49:22-26 José é um ramo frutífero, ramo frutífero junto à fonte; seus galhos se estendem sobre o muro. Os flecheiros lhe dão amargura, atiram contra ele e o aborrecem. O seu arco, porém, permanece firme, e os seus braços são feitos ativos pelas mãos do Poderoso de Jacó, sim, pelo Pastor e pela Pedra de Israel, pelo Deus de teu pai, o qual te ajudará, e pelo Todo-Poderoso, o qual te abençoará com bênçãos dos altos céus, com bênçãos das profundezas, com bênçãos dos seios e da madre. As bênçãos de teu pai excederão as bênçãos de meus pais até ao cimo dos montes eternos; estejam elas sobre a cabeça de José e sobre o alto da cabeça do que foi distinguido entre seus irmãos.

Introdução

Recentemente li o livro "Além dos Muros" do Rev. Alcídes Martins Júnior. Nele, o autor, que foi meu professor no Seminário Presbiteriano de Brasília, toma a vida de José como exemplo de vida que vai além dos muros, tal como profetizado pelo pai Jacó. Segundo o autor, José foi além da mediocridade, ressentimento, circunstâncias e soberba para ser um homem que obedecesse a Deus e mais tarde tornar-se um exemplo de vida cristã.

De fato, dentre todos os modelos messiânicos, tipos de Cristo no Antigo Testamento, José é o que mais se assemelha com Jesus. Sua vida é exemplo de honestidade, humildade, excelência e propósito. Sua conduta ilibada é marcante no caráter deste grande homem de Deus que mesmo diante de toda e qualquer adversidade manteve-se fiel a Deus, e com coragem e paciência alcançou a vitória, tornando-se o mais notável dentre os filhos de Jacó. (v. 26).

No texto lido, Jacó o chama de “ramo frutífero”. “Ramo frutífero junto à fonte”. Seu nome próprio também é sugestivo: José = Deus acrescenta.
Gn 30:24 “E lhe chamou José, dizendo: Dê-me o SENHOR ainda outro filho.”

Assim, como ramo frutífero, José avançou, ultrapassou as barreiras, os muros e acrescentou à humanidade um notável exemplo de quem pode ser uma bênção para seu povo e nações do mundo inteiro.

Temos o que aprender com esse homem de Deus. Temos de ir além dos muros e ser uma bênção nas mãos de Deus.

Por isso, eu convido você caro leitor a meditar no seguinte tema:

UMA VIDA ALÉM DOS MUROS.

Desenvolvimento
Quais as Atitudes que nos levam a Uma Vida Além dos Muros?

1. Ousadia

Ousadia para lutar no exército de Deus

A atitude ousada que nos leva além dos muros é aquela atitude destituída de timidez, acanhamento, de medo e vergonha. A pessoa com atitude ousada, cheia do Espírito Santo, é pró-ativa, ela enxerga o que mais ninguém consegue enxergar, ela contempla o horizonte que Deus está traçando para sua vida, ela não se detém nas coisinhas mesquinhas que os tímidos investem tempo e argumentos para assegurar sua acomodação e mediocridade.

Deus nunca se agradou de pessoas que ficam à margem do caminho investindo contra o avanço daqueles que Ele mesmo os fez ramos frutíferos e que devem ir além dos muros. Vejamos, por exemplo a orientação de Deus para arregimentar os seus soldados:

Dt 20:8 Qual o homem medroso e de coração tímido? Vá, torne-se para casa, para que o coração de seus irmãos se não derreta como o seu coração.

Quem é tímido não avança com o exército de Deus!

Ousadia para ser fiel a Deus

Jz 7:2-3 Disse o SENHOR a Gideão: É demais o povo que está contigo, para eu entregar os midianitas nas suas mãos; Israel poderia se gloriar contra mim, dizendo: A minha própria mão me livrou. Apregoa, pois, aos ouvidos do povo, dizendo: Quem for tímido e medroso, volte e retire-se da região montanhosa de Gileade.

Ousadia para cumprir a missão

O apóstolo Paulo pediu que os irmãos orassem por ele, pois era um embaixador em cadeias e, para que, em Cristo, ele fosse ousado para falar, como cumpria fazê-lo. (Ef 6:20).

Da mesma forma o crente fiel avança ousadamente para o cumprimento do propósito de Deus em sua vida e por meio dela ser um cooperador de Deus, conforme 1Co 3.9, na grande tarefa de edificar Sua Igreja, bem como tornar conhecido o Nome de Jesus Cristo em toda a terra.


2. Desejo de conquistar

O Rev. Hernandes Dias Lopes começa um de seus sermões contando a história de Edmund Hillary, alpinista que não conseguiu escalar o monte Everest em sua primeira tentativa em 1951. Certa ocasião, Edmund Hillary fora confrontado por algumas pessoas com cartazes enormes do monte Everest pensando que poderiam intimidar o grande alpinista. Contudo, sua vontade de conquistar o fez voltar ao seu grande algoz em 1953, e no dia 29 de Maio Edmund Hillary tornou-se o primeiro alpinista a conquistar o pico do monte Everest.

O desejo de conquistar move o coração do ser humano para ele ir além dos muros e chegar mais longe na sua vida.

Assim era a vida de José. O texto nos diz que ele havia sido alvo de muitas flechas, contudo seu arco permanecia firme em Deus. Sua fé não era abalada com as setas dos inimigos e seu desejo de conquistar fazia com seus braços fossem cada vez mais ativos pelas mãos do Todo-Poderoso.

John Knox, o pai do Presbiterianismo na Escócia, com seu desejo de conquistar a Escócia para Cristo orava dizendo: “Deus, dá-me a Escócia senão eu morro!”.

Igualmente o crente cheio do Espírito Santo deseja a conquista de pessoas para o Senhor Jesus Cristo, pois, o desejo de conquista é inerente em quem vai além dos muros para edificação do Reino de Deus.


3. Multiplicação

Atitude de multiplicação que nos leva além dos muros permite-nos fincar compromisso com a essência dos frutos e com as nossas raízes. Permite-nos legar uma igreja para nossos filhos em que eles possam servir a Deus com fidelidade, compromisso, saúde espiritual e vivendo muito mais além dos muros. Suas raízes continuarão arraigadas em Cristo (Cl 2.6-7), mas seus ramos se estenderão até aos confins da terra.

Gn 50:25 José fez jurar os filhos de Israel, dizendo: Certamente Deus vos visitará, e fareis transportar os meus ossos daqui.

Ex 13:19 Também levou Moisés consigo os ossos de José, pois havia este feito os filhos de Israel jurarem solenemente, dizendo: Certamente, Deus vos visitará; daqui, pois, levai convosco os meus ossos. (o povo de Israel saindo do Egito)

Js 24:31-32 Serviu, pois, Israel ao SENHOR todos os dias de Josué e todos os dias dos anciãos que ainda sobreviveram por muito tempo depois de Josué e que sabiam todas as obras feitas pelo SENHOR a Israel. 32 Os ossos de José, que os filhos de Israel trouxeram do Egito, enterraram-nos em Siquém, naquela parte do campo que Jacó comprara aos filhos de Hamor, pai de Siquém, por cem peças de prata, e que veio a ser a herança dos filhos de José.

Conclusão

Conclui-se que o propósito de Deus é que o crente fiel tenha uma vida que ultrapassa os muros da timidez, inércia e esterilidade. Isso ele conseguirá tendo ousadia e desejo de conquista, e sua vida será realmente digna de existência quando ele multiplicar os ensinamentos de uma vida que vai além dos muros para as gerações posteriores.

Aplicação

Estou certo que somos ramos frutíferos em Cristo Jesus.
Entretanto, existe algo que eu ainda posso fazer? Caso exista, o que ainda posso fazer?

Deus nos abençoe nessa jornada para irmos além do muros.

Marcelo Morais.