Finalidade deste Blog

Olá, seja muito bem-vindo ao meu blog. Nele você encontrará textos de vários autores, inclusive o meu, é claro. Decidi fazer este blog para expressar meus pensamentos e minhas quimeras. Também estarei compartilhando mensagens bíblicas em texto e audio. Meu desejo é que você seja edificado. Então, deixe seu comentário e vejamos como nos edificaremos.

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

O Senhor detesta os traiçoeiros

Salmo 5:4-6
4 Tu não és um Deus
que tenha prazer na injustiça;
contigo o mal não pode habitar.
5 Os arrogantes não são aceitos
na tua presença;
odeias todos os que praticam o mal.
6 Destróis os mentirosos;
os assassinos e os traiçoeiros
o Senhor detesta.

Muito poderia escrever sobre este texto. Apesar de conter obviedades, o texto é negligenciado por uns, ignorados por outros e, simplesmente, usurpado por outros.

Assim, escrever de negligência, ignorância e usurpação no atual contexto e considerando a recente experiência, seria fácil.

Porém, existem dois grandes perigos.

O primeiro é o perigo da generalidade. Para fugir de citações, deveria generalizar. Mas, generalizar pode ser injusto, sendo portanto, alvo do desprazer de Deus, conforme o próprio texto nos ensina.

O segundo perigo é o da arrogância. Apontar erros, injustiças, mentiras, malignidade e atos traiçoeiros pode parecer arrogância da minha parte, especialmente quando me considero um pobre pecador, afinal eu me conheço e, mais importante, o Senhor me conhece.

Então, como comentar este texto no meu contexto vivencial? Sim, no meu, eu escrevi.

A exegese e a hermenêutica irão me repreender exigindo que eu me limite ao contexto bíblico.

Todavia, o exercício aqui é aplicar o texto a minha pessoa, ou à sua, se tiver um contexto parecido.

Portanto, resta-me seguir o texto como uma oração:

Salmo 5:7-12
7 Eu, porém, pelo teu grande amor,
entrarei em tua casa;
com temor me inclinarei
para o teu santo templo.

8 Conduze-me, Senhor, na tua justiça,
por causa dos meus inimigos;
aplaina o teu caminho diante de mim.

9 Nos lábios deles não há palavra confiável;
suas mentes só tramam destruição.
Suas gargantas são um túmulo aberto;
com suas línguas enganam sutilmente.

10 Condena-os, ó Deus!
Caiam eles por suas próprias maquinações.
Expulsa-os por causa dos seus muitos crimes,
pois se rebelaram contra ti.

11 Alegrem-se, porém,
todos os que se refugiam em ti;
cantem sempre de alegria!
Estende sobre eles a tua proteção.
Em ti exultem os que amam o teu nome.

12 Pois tu, Senhor, abençoas o justo;
o teu favor o protege como um escudo.

Senhor, que assim seja, na minha vida e na vida de todos que Te amam, em nome de Jesus.

Em Cristo,
Marcelo Morais.

Nenhum comentário: